25 março 2008

Inexistência de Deus?

"Durkheim acreditava que,  enquanto houver humanidade, a espiritualidade e Deus  continuarão existindo. (...) é um abuso falar de inexistência de  Deus. Não pode ser inexistente o que pode ser  percebido por seus efeitos.  Mais do que isto, não pode  não existir o que é parte  importante na construção  da identidade de pessoas e  grupos, em nome de que se  erigem projetos de mundo  para o presente e o futuro  e se defi nem padrões de  moralidade e de conduta  coletiva. Estamos próximos  de Durkheim."

corel Joanildo Burity - Dir. de Pesquisas Sociais da Fundação Joaquim Nabuco - Minist. da Educação (matéria publica no jornal O POVO de domingo, dia 23, Vida & Arte).

1 Comments:

Anonymous Ulisses said...

A teoria é legal. mas embora não conheça a fundo o pensamento de Durkheim (mea culpa...), achei - pelo menos na forma proposta no post - um tanto quanto tênue. Parece que Deus é mais um fenômeno socio-cutural generalizado ou mesmo uma espécie de derivação/abstração psicológica coletiva (como se Deus fosse feito à imagem e semelhança do homem), ao invés de um Ser atuante de onde o homem deriva (à imagem e semelhança de Deus). O teorema, a uma primeira vista, serve mais como a demonstração de um indício do que uma constatação irrefutável. Mesmo assim, uma teoria boa de se estudar. Valeu, Pastor!!!

11:13 PM  

Postar um comentário

<< Home